Opará . São Francisco 3 ago 2021, 15h

As Carrancas do São Francisco

Júlio Heilbron 20' 1974

A vida no Vale do Alto São Francisco é feita através do rio. Os homens e mulheres retiram dele seu meio de subsistência e ele é também sua via de transporte. As carrancas são símbolos da cosmologia do médio São Francisco, com características próprias. Figuras mitológicas colocadas na proa dos barcos têm por função mágica espantar os bichos e seres das águas. Francisco Biquiba Dy Lafuente Guarany, o mais célebre e antigo escultor de carrancas, narra a origem dessa arte.

*Com comentário de Davi de Jesus do Nascimento

Ficha técnica

  • Julio Heilbron
    Direção
  • Julio Heilbron
    Fotografia
  • Eduardo Rüegg
    Som
  • Julio Heilbron
    Montagem

Veja também

<span class="mixed-fonts">Á<strong>g</strong>ua<strong>s</strong> Sa<strong>g</strong>ra<strong>d</strong>as
<span>

Águas Sagradas

Amanda Russi 10' 2017

Águas Sagradas traz histórias, cantos, cultura e tradições do Quilombo Mangueiras, região norte de BH. As águas do córrego que margeia o Quilombo, além de presentes na vida cotidiana dos moradores, são usadas para preparar a festa das Yabás para as Orixás femininas.

<span class="mixed-fonts"><strong>C</strong>i<strong>d</strong>a<strong>de S</strong>ubm<strong>er</strong>s<strong>a</strong>
<span>

Cidade Submersa

Barbara Lissa 5' 2020

Em um exercício de colagem e intervenção sobre imagens e sons coletados na internet, o filme retrata as chuvas que acontecem todos os anos em Belo Horizonte e suas consequências.

<span class="mixed-fonts"><strong>C</strong>in<strong>e</strong>ma no <strong>r</strong>io
<span>

Cinema no rio

Inácio Neves, Henrique Mourão e Marcela Bertelli 25' 2014

Depoimentos de ribeirinhos produzidos em 2014 em várias cidades dos estados de Minas Gerais e da Bahia. As falas dizem sobre as condições de vida dos ribeirinhos e a situação do Rio São Francisco em um novo contexto de escassez de água e peixes.

<span class="mixed-fonts"><strong>F</strong>elici<strong>d</strong>ad<strong>e </strong>
<span>

Felicidad

Isabela Izidoro 10' 2017

Um retrato cotidiano do Bairro Jardim Felicidade, na região norte de Belo Horizonte, a partir das relações de seus habitantes – humanos e não humanos – com o córrego Tamboril, muito presente e importante na paisagem e na vida local.

<span class="mixed-fonts">I<strong>t</strong>a<strong>c</strong>ara<strong>mb</strong>i – M<strong>G</strong>
<span>

Itacarambi – MG

Inácio Neves, Gabriela Albuquerque e Luiza Garcia 11' 2017

Filme da cidade de Januária, produzido em 2017 para a 12ª edição do projeto Cinema no Rio São Francisco. Os registros da vida no lugar homenageiam as mulheres ribeirinhas.

<span class="mixed-fonts"><strong>M</strong>inas <strong>D</strong>‘á<strong>g</strong>ua<strong>s </strong>
<span>

Minas D‘água

Danilo Siqueira 23' 2015

O documentário apresenta impactos gerados pela mineração na água que abastece comunidades localizadas em uma região de Minas Gerais conhecida como quadrilátero ferrífero-aquífero.

<span class="mixed-fonts"><strong>Op</strong>ará, Mo<strong>r</strong>ad<strong>a</strong> de N<strong>o</strong>ssos <strong>A</strong>nces<strong>tr</strong>ai<strong>s</strong>
<span>

Opará, Morada de Nossos Ancestrais

Graciela Guarani 21' 2019

Opará – Morada dos Nossos Ancestrais faz um mergulho profundo no São Francisco, rio que sempre foi conhecido pelos seus povos originários como Opará, o rio mar.

 

<span class="mixed-fonts"><strong>S</strong>ão J<strong>os</strong>é do Bu<strong>r</strong>iti, <strong>F</strong>eli<strong>x</strong>lândi<strong>a</strong>, <strong>M</strong>ina<strong>s</strong> Ge<strong>r</strong>ais
<span>

São José do Buriti, Felixlândia, Minas Gerais

Cristina Maure e Fernando Lima 10' 2009

Filme do distrito de São José do Buriti no município de Felixlândia, produzido em 2009 e exibido em praça pública no Projeto Cinema no Rio São Francisco, valorizando os moradores, sua cultura e suas histórias. 

<span class="mixed-fonts"><strong>T</strong>alh<strong>a</strong>ndo <strong>o</strong> <strong>r</strong>io 
<span>

Talhando o rio 

Gleydson Mota 12' 2021

Neto Guacho é pescador artesanal e quilombola de Sangradouro Grande, no município de Januária, sertão gerais de Minas. O enredo mostra a relação do pescador com o rio como lugar de existência e de criação.